Icones-14.png

Tecnologia

A maior parte das pessoas tem uma ideia antiga sobre o que é cirurgia. Cirurgia laparoscópica, robótica, endoscópica, terapias focais são exemplos dos novos tratamentos realizados dentro da urologia. 

Cirurgia laparoscópica/robótica

Buscando diminuir as incisões (“cortes”) antigamente realizadas, foi desenvolvido um novo tipo de técnica cirúrgica, que através de pequenas incisões são passadas pinças finas e uma câmera dentro da cavidade abdominal. Desta forma, a cirurgia consegue ser realizada de forma minimamente-invasiva, garantindo uma alta precoce dos pacientes, menos dor e uma recuperação mais rápida. Para melhorar ainda mais a técnica cirúrgica, a tecnologia trouxe a cirurgia robótica, que tem o mesmo conceito da laparoscopia, mas ao invés do cirurgião segurar as pinças, ele coordena um robô para isso. Esta tecnologia veio para ficar, facilitando muito os movimentos das pinças, melhorando a visão e garantindo com isso mais precisão na cirurgia. Hoje em dia quase todas as cirurgias realizadas dentro da cavidade abdominal são realizadas através dessas técnicas. 

Cirurgia endoscópica

Visando o mesmo objetivo de ser cada vez menos invasivo durante as cirurgias, a técnica endoscópica utiliza o próprio trato urinário para ser realizada. Ou seja, através de pequenas câmeras e, na maioria das vezes, sem qualquer corte, conseguimos tratar doenças que estejam dentro do sistema urinário. Essa tecnologia revolucionou a urologia, permitindo que tratamentos complexos tenham uma recuperação e evolução fantástica, muitas vezes com alta hospitalar no mesmo dia. 

Terapias ablativas e focais

Sempre seguindo a tendência de agredir cada vez menos a pele, tecidos abdominais e mesmo os órgãos doentes, passaram a ser desenvolvidos tecnologias para tratar apenas a doença, sem a necessidade de retirar os órgãos (principalmente no tratamento de câncer). Os tumores renais foram um dos beneficiados, sendo que em alguns casos selecionados, existe a possibilidade de atingirmos esse tumor com uma agulha e através de energia térmica destruir as células tumorais. Outra tecnologia cada vez mais difundida é o HIFU (High Intensty Focal Ultrasound). Utilizado em casos selecionados de tumores de próstata, consegue utilizar ondas de ultrassom focalizadas para queimar as células tumorais, sem necessidade de retirar todo o órgão.

Sendo assim, a evolução da tecnologia nas cirurgias já é uma realidade, beneficiando cada vez mais pessoas e garantindo tratamentos mais efetivos e menos invasivos.